Cabeça de mãe

Cabeça de mãe

Namorei pouco mais de 3 anos, e casei aos 19 anos. Com 20 anos já tinha uma filha. Poderão estar a pensar que casei tão novinha, e ainda por cima, fui logo mãe.

Mas tenho a dizer que tudo resultou de um desejo muito bem planeado. Comecei a namorar com 16 anos, com o meu atual marido, um pouco mais novo que eu. Ainda não namorávamos há 1 ano, e já planeávamos casar e ter uma casa cheia de filhos. Os nossos colegas riam-se pensando “Coitados, são novos, deixa-os sonhar…”

O que eles não sabiam é que era uma decisão muito séria.

Estou casada há 28 anos, e claro… concretizei o meu sonho.

Salmo 37:4
“Deleita-te no Senhor e Ele concederá o desejo do teu coração”

Ser mãe é ser. É a tempo inteiro, 24h por dia. Quando estamos tão exaustas, que pensamos não ter mais forças, e precisarmos de dormir, sem ter de pensar em fazer jantar, para recuperar, e de repente um filho precisa de ajuda para estudar, porque tem dúvidas na escola, ou tem um teste, porque precisa desabafar, ou o dia lhe correu mal, quem sabe teve um desgosto amoroso…

É interessante como nesses momentos, os nossas fraquezas, cansaço e fragilidades deixam de ter qualquer importância, só porque somos mães.

Deus fez tudo perfeito, e não é por a caso que Ele escolheu a mulher para ser mãe.

Lembro-me de sair a correr da empresa, ainda durante o horário laboral, para ir buscar os filhos nas suas atividades diárias, cada um num lugar…
Um filho na escola, outro na creche, outro no ATL, outro numa grande amiga que me ajudava nessa tarefa difícil da recolha, no final do dia.

Ir às compras com todos, depois, levar um à explicação, outro ao futebol, outro à ginástica, enquanto eu ia a uma consulta com o mais novo.

Todos os dias tinha uma agenda como qualquer mãe tem, na cabeça, e antes de me deitar o último passo era mesmo fazer um breve briefing comigo mesma, e ver o que fiz, o que ficou por fazer, o que faz sentido ficar para o dia seguinte ou o que terá de ser adiado, porque no dia seguinte a agenda já está novamente completa.

Eu conseguia ter na minha agenda imaginária (cabeça) as datas de todos os testes da escola, os horários de todas as atividades extracurriculares, as consultas e restantes compromissos de cada um, incluindo meus e o meu marido, a gestão da minha empresa, as viagens de negócios que tínhamos que fazer, a igreja, onde eu sempre tive muitas responsabilidades, e a partir do meu quarto filho, também como pastora.

Marcava as minhas viagens de negócios em função dos testes e restantes atividades ou compromissos importantes de cada filho, planeava o meu dia de acordo com a agenda dos filhos, …

Por fim, todas as minhas noites, quando finalmente estavam todos na cama, muitas vezes depois das 24h, era a hora de arrumar a casa, lavar a loiça, organizar as roupas, e claro… planear de novo, o dia seguinte….

Sinto-me realizada, existe um sentimento de missão cumprida, sou feliz!!!

“Mãe de mão cheia”

#mãedemãocheia #cabeçademae #amorincondicional #opçoes #estilodevida

Comentários

A Família – Educar os filhos

Espaço Mulher - Você tem valor

Áudios

A Família

Educar os filhos

Veja aqui mais estudos:

Fases

Fases

Para mim a vida se resume em antes e depois dos filhos.

Tem aquelas pessoas adeptas do famoso “os filhos não mudam em nada nossa vida” e aquelas da “minha vida virou de ponta cabeça com os filhos”, e a única coisa que posso dizer pela minha experiência é que SIM, EXISTE UM ANTES E DEPOIS DOS FILHOS. Porque a maternidade te apresenta sentimentos tão únicos que em nenhuma outra fase da sua vida você passará por algo parecido.

Tudo já começa na gravidez com a alegria do positivo, com a expectativa para descobrir o sexo do bebê, a ansiedade para a chegada do parto e depois que o bebê nasce é que a montanha russa de emoções antagônicas começa.

Me lembro de ter dias que estava tão cansada em que tudo o que eu queria era que o meu filho dormisse durante o dia para eu ter um tempo para mim (ou seja, sem preocupações)  quando finalmente ele dormia depois de 15 minutos eu já estava com saudade e queria acordá-lo, ou a sensação de querer que eles cresçam rápido para ficarem independentes, mas sempre que reparo o quanto estão crescidos vem aquela vontade de parar o tempo para que eles fiquem bebés para sempre, é minha filha, este é o mundo depois da maternidade, e quando me perguntam como era a minha vida antes dos filhos? Não sei, não me lembro como era antes deles, a única certeza é que deveria ser bem mais sem graça para eu nem me lembrar.

E nestes altos e baixos haverá dias em que a vontade de acordar e não ter que se preocupar com mais nada a não ser a suas próprias vontades será grande. Filhos não esperam, eles tem as suas horas e quanto mais procrastinarmos mais trabalho teremos depois, roupas por lavar, casa por limpar, mas sabe, o que me conforta nestes dias é lembrar que nada é para sempre, é uma fase, isso tudo vai passar e só vai ficar a saudade, ao invés de reclamar eu tenho que aproveitar porque um dia eles vão crescer, irão para longe do meu ninho e sentirei saudades de tudo isso que hoje acho “chato”, afinal, quem que gosta de comer a comida fria porque o filho resolveu derramar sumo pela casa toda?

Todas as fases da nossa vida são importantes e a “depois dos filhos” será a que te deixará com mais saudade.

“A_vida_sem_filtros”

#avidasemfiltros #fases #terfilhos #depoisdosfilhos