Caminhando para o desconhecido

Caminhando para o Desconhecido

Sentia-me uma mulher realizada! Casada com o fruto das minhas orações, mãe de dois lindos filhos, com emprego no ramo desejado e servindo a Deus com temor e fervor. Acreditava que já estivesse a cumprir com o meu propósito de vida!

Belo dia, estava eu naquela que é chamada “nossa zona de conforto” quando o meu marido comunica-me que tínhamos sido chamados para sermos Missionários.

Missionários? Que benção!
Mas isso significa deixar tudo, sair do conforto, abortar planos e partir para o desconhecido!
Questionei-o sobre a sua posição e respondeu-me ele: “Nunca deixei de cumprir a orientação de um líder”.  
Surgiram não dúvidas, mas sim inquietações pois deixaríamos o resto da família e muito do que conquistamos.

Mais do que nunca apercebi-me que quando em oração dizemos a Deus “Eu sou um vaso em tuas mãos” Deus leva muito a sério. Vaso não fala, vaso obedece, ele é colocado onde melhor convier. Como vasos de Deus, o nosso Pai põe-nos exatamente no local por Ele desejado, e seja que local for será sempre bom (I Timóteo 2:20-21).

Vezes há que por egoísmo fechamo-nos no “nosso eu”, não queremos nos libertar, e como bebés não queremos deixar o peito da mãe por medo do desconhecido, tal como a parábola do Jovem rico (Mateus 19:16-30).

Permanecer naquele que aos nossos olhos é o melhor para nós, atrasa o nosso crescimento e impossibilita atingirmos a estatura varonil de Cristo.
Deus quer sempre fazer mais em nossas vidas, mas nós muitas vezes não o deixamos, por amor a nossa zona de conforto e medo do desconhecido.

E cá estou, numa terra em que tudo era diferente e não conhecíamos ninguém, mas que por termos confiado, obedecido, deixado tudo por amor a Cristo, Deus nos tem dado cem vezes tanto.

Hoje eu e meu marido trabalhamos cada vez mais pelo mesmo objetivo, Jesus Cristo;
Estamos mais unidos, confidentes e íntimos como casal, mais próximos dos filhos e ganhamos cá uma nova e linda família (Salmos 143:10).

Hoje mais do que nunca posso afirmar que O DESCONHECIDO EM DEUS É SEMPRE BOM.

“Menina_dos_olhos_de_Deus”

#caminhada #desconhecido #confiaremDeus

Comentários

Ladrão de Amor

Espaço Mulher - Você tem valor

Estudos

Ladrão de Amor

1 – Banco de Amor

A força no casamento está no amor, que temos que desenvolver dia após dia.

Existe um conceito do “Banco de Amor”:
– O marido tem uma conta no banco de amor, no coração da esposa.
– A esposa no coração do marido.

O saldo desta conta podemos mudar: 
a) Depositar moedas de amor
b) Levantar moedas de amor


2 – Ladrões de Amor


Os ladrões de amor são as coisas que diminuem o saldo no banco de amor muito rápido.
O diabo vem para destruir, e gosta de nos lembrar os defeitos de outra pessoa. (João 10:10).

Os ladrões de amor são hábitos, que temos, que irritam a outra pessoa.
Se não nos livramos dessas coisas, podem ficar tão grandes, até destruir o seu casamento.
Devemos analisar-nos e ver quais são esses ladrões de amor.


3 – Alguns destes ladrões

a) Explosões de raiva:
Alguém lhe faz alguma coisa errada, e você tem a certeza que é uma injustiça.
Já não vale a pena falar. Só vale uma coisa: gritar! = Explosão de Raiva.
Tudo vale, para que a outra pessoa nunca mais voltar a repetir o que lhe fez.

Qual a reação do outro? 
– Retaliação
– Silêncio total
– Uma guerra fria 
– Sarcasmo (à frente dos amigos)

Não resolve, só estraga. Em vez de construir, está a destruir o seu casamento.

– A pessoa fica ofendida e magoada.
– Saldo no banco de amor baixa rápido.

Gálatas 5:22-23
“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei.”

b) Julgamento desrespeitoso:
Quando tentamos endireitar, corrigir alguém numa maneira desrespeitosa.

Esta pessoa acha que só ela está certa, e quer ajudar a outra pessoa a ser e agir exatamente como ela.
Ela não está a fazer por mal, só que o outro está a ser tratado como se ele não prestasse.

Não funciona. Cada pessoa sempre pensa estar certa.
O outro também começa a julgar.
A pessoa fica magoada, triste por não ser aceita como ela é. Não se sente amada. Sente que precisa de mudar para ser amada.  Nem Deus faz isso connosco.

João 3:16
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito …”

c) Comportamento/atividade irritante
Um comportamento irritante é quase impossível de mudar:
– Maneira de rir, jeitos etc.
– Temos de nos habituar.

Uma atividade irritante:
Quando uma pessoa faz qualquer coisa premeditada em relação à outra pessoa.
– A comida que a esposa faz, enquanto sabe que o marido não gosta.

Solução? Não se irrite tão rápido e não seja uma irritação.

d) Exigências egoístas
Uma pessoa obriga a outra a fazer algo que esta não quer.
– Não quer saber da vontade da pessoa nem dos sentimentos dela.
– Se o outro não fizer, o resultado é pior.

O casamento é baseado no amor. Não pode haver exigências egoístas. É satânica, destrói por completo.

Isaías 58:9
“…. Eis-me aqui. Se tirares do meio de ti o jugo, o estender do dedo, e o falar vaidade “

e) Desonestidade
Desonestidade tem a ver com as nossas falhas, que não queremos admitir.

I João 1:8-9
“Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmo … Se confessarmos …, ele é justo para nos perdoar …”

Assuma as suas falhas sem desculpas.
Seja honesto com a sua esposa/marido:
– Acerca do seu passado (sem detalhes, não tudo interessa).
– Os seus desejos, gostos. (As pessoas sempre mudam).
– Os seus sonhos, planos de futuro.

Comentários

O Sol da nossa Justiça

O Sol da nossa Justiça

No meu pais não há inverno.
Aliás, temos apenas a época das chuvas e o tempo seco.
No tempo seco, para além da falta de chuvas, pelo menos na minha cidade, o sol fica muito acanhado, ficando muito distante, o que consequentemente diminui o calor e a humidade.

Bem no principio do mês corrente, estava eu sentada no meu quintal muito triste, preocupada com tudo o que se passa no mundo, quando de repente abriu um sol maravilhoso, quente e brilhante. Olhei para aquilo e pode parecer loucura, mas o meu coração se encheu de esperança e ternura, como se algo me envolvesse naquele momento e falasse comigo que tudo havia de ficar bem.

Enquanto comtemplava aquele momento, minha filha apareceu e começou a falar comigo (sem que eu lhe falasse alguma coisa), que o sol estava diferente, e que o coração dela se encheu de uma alegria que ela não sabia explicar. Deus estava a falar connosco (Pode parecer loucura!).

Estamos quase a meio de mais um ano. Onde tudo parece escuro, como se o sol nunca mais fosse brilhar, perdeu o seu encanto. Mas sabe, por mais que esteja escuro, o sol da nossa justiça ( Jesus), continua a brilhar. Abra a janela da vida, afaste as cortinas que ofuscam a sua visão e deixe esse sol brilhar em si e através de si.

Como nos diz a palavra de Deus o povo que estava em trevas, viu uma grande luz.
Para os que estavam à sombra da morte, a luz raiou. Jesus Cristo é o sol da nossa justiça.

Até aqui nos ajudou o Senhor

“Ebenézer”

#ebenézer #soldanossajustiça #esperança